Nome
E-mail
Home | Notícias
Digressão a Freixo de Espada à Cinta recheada de Velhas Glórias

Em pleno mês de Agosto, o Grupo fez as malas e preparou-se para um fim-de-semana prolongado fora de casa. Primeiro ponto de paragem Freixo de Espada a Cinta, junto ao Rio Douro, na região de Trás-os-Montes era o nosso destino, para mais uma corrida de toiros. O cartel era composto pelos cavaleiros António Telles e José Manuel Duarte e o matador Mário Miguel, que juntamente com o Grupo de Montemor enfrentavam um curro da ganadaria de Herdade de Pégoras.

 Numa tarde de calor e depois de muitos quilómetros, chegámos a Freixo de Espada a Cinta, depois de uma paragem na Guarda para almoçar e outra em Barca de Alva para um refrescante mergulho no Rio Douro, sempre com boa disposição e acompanhados por algumas velhas glórias do nosso Grupo, chegámos à hora da fardação, curiosos se algum dos antigos, iria querer experimentar de novo a sensação de pegar um toiro.

Já na corrida, o grupo era composto pelos elementos mais novos e o antigo forcado António José Pina. Para o primeiro toiro e depois de uma lide a duo, foi escolhido o elemento Francisco Zenkl, brindou ao público e provocou a investida do oponente, depois de ter começado a recuar um pouco antes de tempo, não consentiu o toiro e foi obrigado a tentar de novo. Na segunda tentativa, emendou o erro e concretizou uma pega bonita com uma boa ajuda do forcado João Pedro.

 O segundo toiro, com 520 kg, deu uma lide animada ao cavaleiro António Telles, em praça e depois de brindar aos antigos elementos na bancada estava António Pina, um dos grandes forcados do Grupo nos anos 80 e 90. Com muita calma e elegância citou o toiro e no momento certo mandou na investida, aguentou e com uma boa reunião viajou até aos ajudas, que só nas terceiras concluíram uma pega vistosa.

 Para o último toiro da noite, foi escolhido o forcado João Tavares que só à terceira tentativa conseguiu concluir uma grande pega. Citou de largo e bonito como é seu apanágio, mas foi já nos terrenos do oponente que consegui provocar a investida, fechou-se com vontade, mas com o toiro a fugir aos ajudas e depois de fortes derrotes foi vencido, obrigando o jovem elemento a tentar de novo. A segunda tentativa, à imagem da anterior, foi vistosa mas sem sucesso e só à terceira e com o grupo mais em cima é que a pega foi concluída. O forcado da cara esteve superior e merecia melhor sorte, mas nem sempre as coisas correm como queremos.

 Depois de um jantar animado, rumámos a Castelo Branco onde o nosso refúgio para a noite era a bonita quinta, do antigo elemento Paulo Jalles. De manhã, saboreámos um belo pequeno-almoço, demos um mergulho na piscina e fizemo-nos à estrada, desta vez o destino era as Caldas da Rainha, onde no dia a seguir pegávamos a tradicional corrida do 15 de Agosto.

 Depois desta agradável digressão, ficou combinado todos os anos se preparar outra do género, em que os antigos elementos poderão ter as suas merecidas oportunidades. Obrigado a todos pela companhia, em especial ao Paulo Jalles pela maneira como nos recebeu em sua casa.

13.08.2005

 Rodrigo Corrêa de Sá

Voltar
com o apoio de