Nome
E-mail
Home | Notícias
Setúbal e uma pega de cernelha para recordar.

Depois da digressão ao Algarve, estávamos de novo na Estremadura e desta vez para pegarmos na praça de toiros de Setúbal, na tradicional corrida, integrada nas festas de S. Tiago.

Na Praça de Toiros Carlos Relvas apresentaram-se os cavaleiros Luís Rouxinol, Francisco Cortes e Rui Santos a substituir João Moura Caetano, compartiam cartel com os montemorenses o Grupo de Forcados do Aposento do Barrete Verde de Alcochete, o curro de Toiros pertencia à ganadaria de Jorge Mendes pai do nosso forcado Filipe Mendes.

O primeiro toiro da noite saiu bem apresentado, montado, de cor preta e bem armado, impunha respeito e depois de ter cumprido durante toda a lide, chegou ao final da mesma já com menos andamento. Em noite de aniversário, o forcado João Cabral merecia uma prenda e nada melhor de que um toiro com 530 kg para comemorar 24 anos. Brindou ao público e citou, com muita presença, carregou, mas só da segunda vez conseguiu provocar a investida e depois de uma reunião alta, viajou até aos ajudas, que com uma boa primeira de Diogo Campilho encerraram uma pega vistosa, em que o forcado da cara demonstrou mais uma vez que esta é a sua época.

O terceiro toiro da corrida, foi o mais bravo, lidado com a alegria típica do cavaleiro Luís Rouxinol, chegou ao fim da lide a prometer uma boa pega. Em noite de prendas, era altura de mais uma oportunidade, para a cara foi escolhido o forcado Filipe Mendes, que assim tinha a possibilidade de pegar um toiro da sua ganadaria, brindar ao seu pai e demonstrar que é um elemento a contar para o futuro do nosso grupo. Depois do brinde emotivo, bateu as palmas, deu alguns passos e assim que o toiro se apercebeu da sua presença arrancou. O Filipe mostrou-se com um passo, aguentou e com uma boa reunião, entrou pelo grupo a dentro que liderado pelo primeiro ajuda António Corrêa de Sá não teve dificuldades em encerrar mais uma boa pega para os montemorenses.

Para o quinto toiro da noite estava guardado o momento mais emotivo da corrida. Com 550 kg, o toiro apresentou-se em praça sem querer investir e durante toda a tentativa de lide do cavaleiro Francisco Cortes, deu indicações de ser um manso, que poderia criar grandes dificuldades numa eventual pega de caras. Optei então pela pega de cernelha, escolhendo para tal, a habitual parelha Manuel Mata e João José Comenda. Brindaram ao Aposento do Barrete Verde que comemora o seu 40º aniversário e prepararam-se para a pega, depois de um grande trabalho da dupla de campinos e do seu jogo de cabrestos, o toiro encabestrou, oportunidade que a nossa parelha não desperdiçou e com uma entrada como descrevem nos livros fecharam-se no toiro par ficar. Durante duas voltas à praça, o toiro derrotou mas não impediu que a grande pega fosse concretizada, com o público de pé a aplaudir.

O Grupo de Forcados do Aposento do Barrete Verde de Alcochete não teve uma noite fácil e concretizou as suas pegas respectivamente à 1ª, 4ª e 3ª tentativas, resultando em lesões em alguns forcados, aos quais nós desejamos as rápidas melhoras.

Depois de mais uma boa corrida para o nosso Grupo, aproxima-se o fim-de-semana da digressão ao Norte, mais precisamente a Freixo de Espada a Cinta, para o qual alguns dos antigos elementos se ofereceram para acompanhar e talvez…, mas para a semana digo-vos como é que tudo correu. 

06.08.2005
Rodrigo Corrêa de Sá

Voltar
com o apoio de