Nome
E-mail
Home | Notícias
Noite Grande em São Cristóvão

Sábado, dia 16 de Julho, o destino era São Cristóvão. Integrada nas tradicionais festas da vila, decorreu a já famosa corrida de touros de São Cristóvão. Este ano a comissão de festas, não fez por menos e compôs um cartel digno de qualquer praça. Para tourear um curro da ganadaria de Paulino da Cunha e Silva, apresentaram-se os cavaleiros João Moura, Rui Salvador e João Salgueiro, competiam com os montemorenses os forcados amadores de Évora.

Com a praça cheia e a pegarmos para o nosso público, a motivação era grande e depois de no fim-de-semana anterior o Grupo não ter conseguido alcançar o êxito, ninguém queria deixar passar nova oportunidade de mostrar o nosso verdadeiro valor.

O primeiro toiro saiu bem apresentado e com o peso a rondar os 480 kg, durante toda a lide de Rui Salvador (João Moura toureou o 3º e 6º toiros do espectáculo), mostrou-se pouco colaborador e com sentido. Gonçalo Saúde foi o forcado escolhido e depois de brindar ao público, citou o toiro. Ao aperceber-se que o seu oponente, caminhava ao seu encontro a trote e numa investida pouco clara, recuou bem e fechou-se com decisão. O grupo com uma boa 1ª de João Pedro Pereira e bem rematada pelo nosso rabejador João José Comenda, não teve dificuldades em encerrar uma pega difícil mas com pouca emoção.

O terceiro toiro da corrida saiu alegra e a cumprir tendo sido bem lidado pelo cavaleiro João Moura. João Tavares brindou ao forcado Feliciano Reis (Xaninha) e com elegância andou para o toiro, carregou, aguentou, recuou e fechou-se ainda melhor, bem ajudado pelos restantes elementos finalizou uma sorte vistosa, demonstrando o bom momento que atravessa.

O nosso último toiro foi o mais sério e com investidas duras dificultando a lide de João Salgueiro, dava indicações de que também poderia proporcionar uma pega difícil. Depois da grande pega de Penamacor, o forcado Carlos Cardoso tinha nova oportunidade de mostrar o seu valor, brindou ao Juiz das Festas de São Cristóvão, José Branquinho Vacas e depois de alguns passos carregou o toiro, com uma investida dura como se previa entrou pelo forcado, que apesar de uma reunião que não foi perfeita, fechou-se com alma. Desta feita o grupo de ajudas teve de se aplicar e com o toiro a fugir ao grupo e a derrotar para tirar o forcado da cara, puseram o público de São Cristóvão de pé. De realçar os elementos Hugo Melo e Manuel Mata assim como a entrada oportuna de João Comenda e como não poderia deixar de ser o forcado Carlos Cardoso que com alma e vontade encerrou uma grande noite para os Montemorenses.

Para o Grupo de Évora a noite não foi fácil e consumaram as suas pegas respectivamente à 3ª, 5ª e 2ª tentativas.

As festas de São Cristóvão duraram até às tantas e depois de um jantar de convívio com os nossos amigos eborenses, ao sabor de uma cerveja entrámos pela madrugada a dentro prontos para mais outra corrida.

Rodrigo Corrêa de Sá

16.07.2005

Voltar
com o apoio de