Nome
E-mail
Home | Notícias
O Último Concurso de Ganadarias
Foi no dia 14 de Maio, que se realizou o último Concurso de Ganadarias em Évora na velhinha Praça de Touros. Para o evento a empresa Aficionar compôs um cartel de luxo, os cavaleiros João Moura, António Telles e Rui Salvador, que juntamente com os Grupos de Forcados Amadores de Montemor e Évora enfrentavam os exemplares das várias Ganadarias que competiam entre si para os prémios de apresentação e bravura.

Por ordem de idade da ganadaria os toiros foram anunciados da seguinte maneira: Núncio com 5 anos e 600 kg, Grave, 5 anos e 560 kg, Luís Passanha, 4 anos e 580 kg, João Moura, 4 anos e 525 kg, Luís Rocha, 4 anos e 500 kg e Luís Cabral com 4 anos e 520 kg.

O primeiro da tarde saiu sério, com pouca cara e sem querer andar nem quando sentia o castigo do ferro, pouco se mostrou durante a lide, apesar da insistência do cavaleiro João Moura. Foi escolhido para abrir praça Francisco Mira, brindou ao público e citou o toiro, que apesar de ter demonstrado pouca bravura durante a lide arrancou cedo para o forcado. Com uma investida lenta o exemplar da ganadaria Núncio não facilitou na reunião, também por culpa do forcado da cara que não o consentiu da melhor maneira, a pega não foi conseguida ao primeiro intento. Na segunda tentativa e já nos terrenos do toiro, o Francisco corrigiu o seu erro e fechou-se com vontade, consumando uma pega pouco emotiva mas séria.

O toiro da ganadaria de D. Luís Passanha saiu em terceiro lugar, imponente de tamanho mas também pela presença que impunha em praça pelo seu andamento, foi lidado com a raça com que Rui Salvador nos habituou. Desta feita, o forcado escolhido foi o José Maria Cortes que ainda na semana anterior tinha demonstrado todas as suas potencialidades na praça da Benedita.

Brindou a quatro antigos elementos do nosso Grupo, naturais da cidade de Évora, Pedro Sotero, Manuel Couto, Vasco Lobo e Nuno Raimundo e de seguida andou para o toiro. Com elegância e já no meio da praça mostra-se ao toiro que com uma arrancada solta investe sobre o Grupo. Com uma reunião dura o forcado chegou ao primeiro ajuda descomposto e poucos metros depois eram desfeiteados e obrigados a tentar de novo.

Com a mesma vontade e galhardia provocou de novo a investida do animal, que saiu duro e veloz, bem embarbelado percorreu a praça até às tábuas e quando a pega está quase a ser concluída pelos restantes elementos, O forcado Zé Maria cai atordoado da cara do toiro depois de ter levado uma bolada do mesmo. A pega ao exemplar da ganadaria Passanha só foi concluída à 5ª tentativa, um toiro duro a que o grupo não soube responder com toda a sua eficácia.

O quinto da tarde e último do Grupo de Montemor, foi o toiro mais bravo da corrida, lidado com a alegria de António Telles o exemplar da ganadaria do antigo forcado Eng. Luís Rocha chegou à pega com a frescura com que tinha saído em praça. João Mantas foi o escolhido para pegar e depois de brindar a seu Pai, ele também um antigo forcado do nosso Grupo, colocou o barrete e bateu as palmas ao toiro.

Logo que sentiu o forcado e como tinha demonstrado durante a lide, o animal voltou-se e investiu com vontade. Depois de aguentar a pés juntos a viagem do toiro, João Mantas fechou-se a córnea com a alma que lhe conhecemos e o Grupo não teve dificuldade em consumar uma pega vistosa.

O Grupo de Évora alcançou um merecido êxito com três pegas à primeira tentativa. O júri atribuiu o prémio de apresentação ao toiro da ganadaria Grave e o prémio de bravura ao exemplar do Eng. Luís Rocha.

Não alcançámos o êxito que pretendíamos e que o público merecia, mas de certeza que para o ano e já na nova praça de touros iremos mostrar todo o nosso valor à cidade de Évora.

Felizmente nem tudo correu mal e o Benfica ganhou ao Sporting.

Évora, 14 de Maio de 2005
Rodrigo Corrêa de Sá

Voltar
com o apoio de