Nome
E-mail
Home | Notícias
Corrida de Toiros na Benedita

O grupo foi pegar esta corrida com muito boa disposição, foi um fim-de-semana em cheio para o grupo. Sexta-feira o cabo Guiga fez 30 anos e fizemos-lhe uma festa surpresa num restaurante em Lisboa, o forcado Zé Miguel Sampaio também fez anos nesse dia (27 anos).

Sábado encontrámo-nos em São Martinho do Porto e jogámos uma futebolada na praia à tardinha, seguida de uma jantarada (controlados na bebida), onde nos divertimos e até tirámos umas fotos.

Domingo dia de corrida, o cartel foi composto por: Joaquim Bastinhas, João Cerejo e Sónia Matias, as pegas estavam a cargo dos amadores de Montemor e Caldas. Os toiros pertenciam a Felicidade Dias, não estavam grandes, mas estavam bem apresentados. Estreavam-se pela primeira vez no grupo João Pedro Pereira e Noel Cardoso.

Para a primeira pega da tarde e do nosso grupo foi José Maria Cortes que brindou ao público. O toiro não apresentava problemas, pelo menos à vista, e foi colocado em frente à sua crença natural (os curros).

Zé Maria, elegante e com muita presença, como de costume começou a citar o toiro “praça a praça”. A praça (desmontável) era grande e talvez por isso o toiro não ficou logo com o forcado. Passados alguns passos o toiro fixou-se com o Zé Maria e deu indícios de que queria arrancar, Cortes carregou-o do meio da praça mas o toiro ficou-se.

A seguir ocorreu uma infelicidade (para não dizer mais) de alguém que se encontrava na trincheira, mostrou um pano ao toiro a pensar que ajudava o forcado e este saiu solto e fugido para o forcado.

Não fosse Zé Maria uma das mais valias do nosso grupo, soube aguentar o toiro que vinha a “ensarilhar” com o forcado, recuou-lhe na cara e consentiu-o muito bem proporcionando uma boa reunião. Depois foi o mais fácil, o toiro veio pelo seu caminho o grupo ajudou bem, João Tavares rabejou em bom estilo e Zé Maria deu a mais que merecida volta.

O nosso segundo toiro coube ao forcado João Caldeira, que brindou a um grupo de aficionadas da Benedita. O toiro não apresentava sinais de que iria complicar a pega e assim aconteceu.

João começou a citar o toiro de largo com muita confiança, quase encostado ás tábuas, que aliás é um costume do Grupo de Montemor, dar vantagens nas pegas. O toiro começou a andar para o forcado e ele carregou-o antes do meio da praça. O toiro veio na sua direcção a galope e numa investida franca, João aguentou bem recuou bem e fechou-se decidido à barbela. O toiro empurrou quase até ás tábuas, o grupo ajudou muito bem, com boa primeira de António Dentinho e boa ajuda do estreante João Pedro Pereira. Mais uma vez João Tavares rabejou bem e Caldeira ouviu muitos aplausos na sua volta à praça.

O quinto toiro da corrida, nosso terceiro e último serviu para mais uma estreia, foi pegá-lo de caras Noel Cardoso. O toiro não apresentava dificuldades aparentes, mas ficou muito fechado em tábuas. Noel depois de brindar começou a andar para o toiro apercebendo-se que este não iria sair das tábuas facilmente.

Carregou o toiro uma primeira vez, mas só à segunda o animal saiu. O forcado esteve bem recuando na cara do toiro e fechou-se à barbela para ficar. Depois da rabejação de João Tavares como mandam as regras, Noel deu volta e foi muito aplaudido.

A corrida valeu pelas pegas e pelas boas prestações dos estreantes que aqui provaram que querem vingar dentro do grupo.

Não posso deixar de referir que o desempenho dos bandarilheiros, que quanto a mim devido tamanho e facilidades dos toiros, foi exagerado e despropositado, dobrando muito os toiros e com capotázeos a mais. Estiveram em praça por tudo e por nada, fazendo o trabalho dos cavaleiros na colocação do toiro para o ferro e diminuíram logicamente os toiros para a pega. Há que ter atenção.

Benedita, 8 de Maio de 2005
João Freixo

Voltar
com o apoio de