Nome
E-mail
Home | Notícias
Corrida de Toiros em Alcácer do Sal

22 de Junho de 2014 – por diversos aspectos uma data complicada

Em primeiro lugar, o nosso Caldeirinha tinha “dado o nó” no dia anterior, pelo que aproveito para endereçar, em nome do Grupo de Montemor, os parabéns ao casal Caldeira e as maiores felicidades. Um casamento de arromba, noite agitada e divertida que não se reflectiu no desempenho do Grupo em praça. Um outro motivo, mais marcante emocionalmente, está relacionado com os acontecimentos que tiveram lugar neste local precisamente há um ano atrás...

Chegada a Alcácer – Recepção incansável da família Núncio Cecílio recheada de comes e bebes extraordinários, a todos muito obrigado!

Quanto à corrida propriamente dita, o cartel anunciava os cavaleiros António Ribeiro Telles, Francisco Núncio e o praticante João Salgueiro da Costa, toiros de Varela Crujo e Forcados de Montemor e Vila Franca.

No incío da corrida o Grupo foi homenageado pela Câmara Municipal de Alcácer do Sal, homenagem referente aos 75 anos que cumprimos na presente temporada. À Câmara Municipal, na pessoa do Sr. Presidente da Câmara Vitor Proença, o nosso muito obrigado.

Para abrir a actuação do nosso Grupo frente a um V.Crujo com 530 kg de peso, foi escolhido um forcado talhado para estes momentos, João da Câmara. O nosso “Camarinha”, acabadinho de chegar de Angola parecia que já tinha pegado 10 toiros este ano. Foi para o toiro com a calma que o caracteriza e, após brindar ao nosso querido Zé Maria, pisou a arena de Alcácer tal e qual como um tal de Miguel Ángel Perera (triunfador máximo da feira de San Isidro) pisa a de Madrid. Foi senhor a andar, mandar, recuar e reunir, a viagem não teve tanto de espectacular porque o homem está com um cabedal tão grande que o toiro não conseguiu levantar a cabeça e o levou pelo chão.

Ps.: Tenho um desejo e penso que o resto do grupo também, ver o Joãozinho a dar o salto e a pegar toiros com um cabedal equiparado ao dele, já está na altura! 

Também “retornado “de Luanda, com um bocadinho menos de cabedal, compensado na vontade e determinação, pegou o nosso segundo toiro o “irmão de camada” do João, Francisco (Ico) Barreto. O Ico foi mais uma vez chamado a “bailar com a mais feia”, teve pela frente o maior toiro da corrida com 550 kg mas não se fez rogado. Com uma primeira tentativa de bradar aos céus a aguentar (quase) tudo, o Francisco demonstrou todas as suas ganas e acabou por não concretizar a pega por uma unha negra. Seguiram-se mais duas recheadas de uma decisão abismal e da valentia que já lhe é reconhecida, concretizando assim ao terceiro intento uma difícil e rija pega a este áspero Varela Crujo. 

A fechar com chave de ouro, frente a 520 kg de toiro, perfilou-se um forcado com outros pergaminhos e bastantes provas dadas, João Romão Tavares. O João enquanto forcado dispensa apresentações, todos sabemos daquilo que é capaz e neste dia não defraudou qualquer elemento, das largas centenas, que constitui o Grupo de Montemor. O toiro era complicado e desde cedo demonstrou que poderia complicar na reunião, o João descomplicou, sacou-lhe os passos necessários na cara, trancou-se à córnea e fez parecer fácil, parabéns João!

O Grupo de Vila Franca deu como consumadas as suas pegas ao 1º, 3º e 1º intento, respectivamente. O prémio em disputa foi entregue à última pega da tarde, realizada pelo forcado João Maria Villaverde. O troféu para a melhor lide foi conquistado pelo “maestro” António Ribeiro Telles, muitos parabéns.

Parabéns também a todo o Grupo por mais uma corrida, mais uma tarde de experiência, amizade e uma grande irmandade. É um prazer enorme ser forcado ao vosso lado e poder chamar-vos de amigos, de irmãos..

 

Pelo nosso Grupo de Montemor, venha vinho!

Francisco Borges Jr.

Voltar
com o apoio de