Nome
E-mail
Home | Notícias
Corrida de Toiros no Campo Pequeno

Depois do êxito tremendo alcançado a 22 de Julho de 2010 na principal praça do pais, no passado dia 30 de Setembro de 2010 o grupo de forcados amadores de Montemor – o - Novo apresentou-se de novo no Campo  Pequeno, com “ganas” de triunfar e deixar mais uma vez na arena Lisboeta, todo o perfume da arte de pegar toiros com vantagens que está impregnado nas ramagens montemorenses.

A corrida televisionada, era de responsabilidade, sendo o cartel composto por seis cavaleiros, seis bem apresentados toiros do Eng.º Luís Rocha, compartiam cartel com os de Montemor os Forcados de Alcochete.
No cômputo geral, a corrida correu de feição ao Grupo, tendo os forcados da cara mandado nos toiros, quando estes também o permitiram, os ajudas deram o corpo ao manifesto e o grupo no seu geral e como é seu apanágio, deu vantagens aos toiros em todas as tentativas.

A noite não era para brincadeiras, e o Cabo Zé Maria entendeu entregar a responsabilidade de abrir praça ao forcado João Pedro Tavares (Peco).

O Peco fez uma pega segura, à altura das épocas que vem realizando. É um forcado que dá garantias em qualquer ocasião, dando confiança ao cabo e ao resto do grupo.
Brindou a pega à Exma. Sr.ª Ministra da Cultura Gabriela Canavilhas, iniciou o seu cite característico nos tércios, tentado cativar a atenção do toiro desde o primeiro instante.
O toiro arrancou algo solto, tendo conseguido o forcado não descompor a sua investida, aguentando-o primeiro, para de seguida o trazer à voz, no entanto aquando do momento da reunião o toiro fez um “estranho”, resultando a mesma algo descomposta, tendo ficado o forcado fechado num piton, aguentando com braços de ferro o primeiro derrote, contando de seguida com uma primorosa e oportuna primeira ajuda do João Pedro Pereira (JP), tendo o grupo fechado a pega a preceito.

Para o segundo toiro da noite foi escalado o forcado João Maria Cabral, que na sua praça talismã, realizou mais uma pega cheia de arte e plena de técnica.
O João Cabral brindou a sorte ao antigo valoroso forcado do GFAM Simão Comenda, iniciando a partir daí um recital da arte de pegar toiros.
Tudo foi perfeito do início ao fim, porque como diz o João Cortes, a pega inicia-se desde que o forcado salta a trincheira até que o rabejador saia do toiro.
Desta forma, o João citou com elegância, dando cada passo com sentimento e principalmente com sentido, prendeu a atenção do toiro, deu-lhe os “toques” que este necessitava nos momentos exactos, mandou na altura certa, aguentou, recuou o necessário sem descompor a investida do hastado, o toiro ganhou velocidade, humilhou bastante, mas não o suficiente para desfeitear o forcado que se dobrou muitíssimo bem com ele, conseguindo uma reunião perfeita e emotiva.
A partir daí o toiro foi ganhando velocidade, desviando um pouco a sua trajectória, tendo os ajudas recuperado bastante bem, fechando mais uma grande pega.

Para o último que coube em sorte aos montemorenses, decidiu o Zé Maria auto eleger-se para fechar praça.
Brindou a pega aos Amadores de Alcochete, na pessoa do seu Cabo Vasco Pinto, pela recente perda do elemento Ricardo Mota.
O Zé Maria, à semelhança das duas pegas anteriores do grupo, deu todas as vantagens ao toiro, citou com galhardia, cá detrás como mandam as regras, e só foi desfeiteado ao primeiro encontro, porque o toiro humilhou bastante, tendo o forcado no momento da reunião ficado com uma perna por cima dum corno, não conseguindo fechar o braço direito, não tendo consequentemente aguentado o derrote que o toiro lhe infligiu.
De pronto de perfilou para a segunda tentativa, dando o grupo de novo bastantes vantagens, como se duma primeira tentativa se tratasse.
Desta vez a reunião foi melhor, o forcado fechou-se com alma e o grupo ajudou eficazmente, fechando com chave de oiro mais uma brilhante actuação do Grupo de Forcados Amadores de Montemor na Praça de Toiros do Campo Pequeno.

Uma palavra para os rabejadores, que desempenharam o seu papel com saber e com arte

O Grupo de Alcochete realizou as suas pegas aos 3.º, 3.º e 1.º intento, com destaque para a pega vistosa do cabo Vasco Pinto.

Foi mais uma corrida de êxito para o grupo, em que mais uma vez ficou demonstrado todo o poderio e a panóplia de soluções que o grupo apresenta em qualquer circunstância.
Um grande bem haja a todos pelas alegrias que nos têm dado.

Pelo grupo de Montemor,
Venha vinho,
Venha vinho,
Venha vinho,

O vosso amigo:
Manuel Mata

Voltar
com o apoio de