Nome
E-mail
Home | Notícias
Corrida Lux na Arena d´Évora.

A pedido do Cabo José Maria, vou tentar comentar o ocorrido nesta corrida promovida pela revista Lux, no dia 13 de Setembro de 2008.

A partir das 18,00 horas, toda a rapaziada foi chegando a casa da família Borges, onde a Carmo e o Francisco nos receberam como è seu apanágio, obsequiando-nos com um verdadeiro “Manjar”, onde tudo estava óptimo, de comer e chorar por mais, criando-se naturalmente o ambiente de amizade e familiar propício a uma boa “charla taurina”.

Parabéns à “cozinheira” Carmo, nomeadamente por aquele bacalhau que estava divinal. Cá espero novo convite para degustar com mais calma e tempo tão saboroso pitéu.

Para a corrida propriamente dita, estava criada uma enorme expectativa, uma vez que estavam anunciados 5 toiros da Ganadaria da Herdade de Pégoras, que se apresentaram terciados mas com “peliscro” e com os pesos entre os 525 e 445 kg e um novilho com 320 kg da Ganadaria de Francisco Romão Tenório, para serem lidados por João Moura e António Ribeiro Telles, que pela primeira vez toureavam sozinhos e a duo, numa bonita alusão aos seus 30 e 25 anos de alternativa respectivamente.

 Daqui lhes envio os meus sinceros parabéns, com votos de muitas felicidades e grandes êxitos para o futuro.

O novilho foi lidado pelo “benjamim toureiro”da casa Moura, o “pequenito”, mas já com grande intuição toureira, Miguel Moura.

Para as pegas, o Grupo de Forcados Amadores de Montemor, comandado por José Maria Cortes, foi acompanhado pelo Grupo de Forcados Amadores de Évora, comandado por Bernardo Salgueiro Patinhas.

Nas lides a cavalo, “Maestro” João Moura no primeiro Pégoras com 525 kg, deixou na arena de Évora, tão e só, a meu ver, a melhor lide a cavalo que nesta se realizou este ano até ao momento. “Maestro” António Telles esteve ao seu nível de grande ginete e figura do toureio dentro do seu já catedrático estilo clássico. Foi bonito ver no toiro a duo a amizade e companheirismo destes dois “Monstros” do toureio a cavalo, desde o brinde mútuo e troca de tricórnios, até ao desenvolvimento de toda a lide. Olé Maestros.

A noite foi de boas e bonitas pegas. Os Pégoras para além de transmitirem, não permitem deslizes independentemente da idade e peso. O nosso cabo José Maria, à antiga “usança”, depois de brindar a João Moura e António Telles abriu praça, e aí mais uma vez demonstrou o que é ser Cabo do Grupo de Forcados Amadores de Montemor.

Este Forcado “Toureiro” citou de largo, de poder a poder o Pégoras de 525 kg, dando-lhe todas as vantagens. Esteve sublime no seu todo, realizando aquilo a que se chama uma pega com arte e perfeita, desde o cite ao receber templando a investida no momento certo, fechando-se com garra para consumar uma grande pega à primeira, muito bem ajudado por todo o Grupo. Está de parabéns duplos, pois finalmente quebrou o enguiço e assim pegou o 1º de muitos à primeira que se seguirão aqui no “Ruédo Eborense”.

Para o nosso segundo toiro, terceiro da noite com 450 kg, foi escolhido o Rodrigo Pietra Torres, e mais uma vez demonstrou todo o seu valor e eficácia, fazendo parecer fácil o que poderia ter sido um problema.

Os toiros, tal como os homens, não se medem aos palmos e este era complicado e com “gatos na barriga”.Com um cite sóbrio mandando e reunindo bem, com todo o Grupo a fechar bem, realizou mais uma pega à primeira tentativa.

Por último e para fechar com chave de ouro, o Pedro Santos citou de largo o nosso

terceiro toiro, 5º da noite com 487 kg, e aqui demonstrou  a razão, que quanto a mim será um dos “Forcados do Ano” do nosso Grupo. Pelo seu valor como forcado, pela sua postura humana e pela classe com que se soube integrar e impor dentro do Grupo, apenas e só ao alcance de alguns, merece a maior sorte do mundo. Desejo-te os maiores êxitos pessoais e que continues na senda dos grandes triunfos defendendo esta jaqueta “Mágica” do nosso Grupo de Forcados Amadores de Montemor.

Depois de uma primeira tentativa com uma reunião difícil, pois os Pégoras têm destas coisas, e ter suportado um derrote violentíssimo por alto, soube compreender o toiro, mudando-o de sítio como mandam as regras, fez uma segunda tentativa de grande mérito com o toiro a destapar-se de um lado, dificultando a pronta recuperação dos ajudas. Não posso deixar de destacar a actuação do Francisco Godinho ao rabejar os nossos 2º e 3º toiro com uma eficiência de assinalar, rapidíssimo na entrada e com “toreria” nas saídas. Parabéns Francisco.

Os nossos companheiros de cartel, o Grupo de Forcados Amadores de Évora, pegaram e bem os seus toiros à primeira tentativa, por intermédio de Manuel Rovisco Pais e Frederico Macau Pereira, tendo o novilho sido pegado pelo João Pedro Oliveira.

Perante 2/3 de praça, dirigiu a corrida o Sr. Pedro Reinhardt.

Pelo Grupo de Montemor….Venha vinho, venha vinho….Venha

Évora, 14 de Setembro de 2008
Joaquim Murteira Correia

Reportagem Fotográfica:
http://www.tauromania.pt/noticias_detail.php?typ=reportagens&aID=2987

Voltar
com o apoio de