Nome
E-mail
Home | Notícias
Bull Fight em Armação de Pêra

Depois de uma corrida em Alpalhão e de alguns fins-de-semana taurinos em que não me foi possível estar presente, foi com muito agrado que me dirigi a Armação de Pêra para mais uma corrida do meu querido Grupo de Montemor.

Do Cartel, constavam ainda o Grupo de Forcados do Aposento da Moita capitaneados pelo amigo Tiago Ribeiro, e para lidar os 6 toiros de José Samuel Lupi perfilavam-se os Cavaleiros João Moura, António Maria Brito Paes e ainda o amador Francisco “Margaça” Palha.

A concentração da forcadagem de Montemor foi feita em casa do amigo/pai/tio Chico Borges e da querida amiga/mãe/tia São Ramalho que disponibilizaram a casa para que a fardação decorresse num ambiente mais familiar, recebendo a rapaziada do Grupo com o tradicional lanche antes da corrida. Desde já o nosso agradecimento não só pelo acolhimento que nos deram e sempre dão, mas pela grande amizade que têm por este Grupo. O nosso muito obrigado ao Tio Chico, à tia Carmo e à tia São.

A Bull-fight no geral viu-se bem, com toiros melhores e outros piores e com os Cavaleiros mais e menos empenhados.

Gostei especialmente de ver o Mia Brito Paes a tourear, quanto a mim o triunfador da noite, com o seu cavalo russo que deveria ter por nome “bicicleta” (aquilo parece que basta dar aos pedais e lá vai ele) a fazer câmbios e kits aos toiros que levantaram os espectadores da Bull-ring.

Já o Francisco “Margaça” Palha que no primeiro toiro conseguiu fazer uma lide de bom nível, com bons apontamentos, na segunda lide não conseguiu tirar partido do toiro chato que lhe calhou em sorte.

João Moura como grande toureiro que é e num ano especial, em que conta já com 30 anos de alternativa esteve em bom nível.

No que toca ao capítulo das pegas, o Grupo esteve mais uma vez bem. Três toiros à primeira tentativa provaram que o Grupo está cada vez mais entrosado, com a rapaziada mais nova a mostrar trabalho, união e com cada vez mais sentido de responsabilidade.

O primeiro toiro foi pegado pelo Noel Cardoso, o nosso forcado oriental, que depois da ausência, por motivos profissionais, das primeiras corridas da época, já demonstrou pela terceira vez consecutiva que está cá para o que calhar pegando mais uma vez o toiro à primeira tentativa. O Noel citou “cá de trás” como manda a tradição e com calma, deixando descansar o toiro e falando com ele. Carregou no momento certo mandando no toiro e fechou-se na cara com o seu valente par de braços até às tábuas onde o esperava o restante Grupo para o abraço final. Como me disse o Zé Maria no final da pega, “o Chinês está afinado” e vê-se que está mesmo!

Para o terceiro da noite, o escolhido foi Frederico Valério, ou por outra, Frederico Caldeira, peço desculpa pelo engano.

O Fred quanto a mim fez a melhor pega, completa do princípio ao fim. Não sendo um forcado habituado a pegar de caras, pois é nas ajudas que se tem destacado, contribuindo em muito para a conclusão de várias pegas feitas nos últimos anos pelos nossos rapazes, fez tudo como mandam as leis. Citou com galhardia e bonito, falou com o bull, mandou neste e teve um bom momento de reunião fechando-se na cara até às tábuas. Como o Grupo não conseguiu ajudar da melhor forma, o toiro fugiu ligeiramente para a direita e notou-se a garra e querer do Frederico ao brigar-se com o oponente para concretizar a pega à primeira tentativa, dando uso ao enorme par de braços (que têm vindo a ser trabalhados cheios de empenho no “gym”, com e à imagem do seu Cabo). A pega foi fechada pelo Peco com uma rabejação de bom nível, deste novo gladiador do Grupo.

Para a cara do último do Grupo de Montemor e quinto da noite, achou por bem o Cabo Cortes mandar para a pega o experiente forcado Gonçalo Saúde que leva já cerca de quarenta toiros pegados na sua carreira de forcado e grande parte deles à primeira tentativa. O Tita pegou mais uma vez à primeira mas não esteve perfeito como é obrigação sua e apesar de até ter aguentado o toiro, o momento da reunião foi defeituoso metendo um joelho, compensando esse facto a sua vontade e querer ficar. Teve uma boa ajuda do Chico Reis que está a evoluir muito positivamente, dando provas ao Cabo de querer ser um dos melhores, como é apanágio do Grupo de Montemor e o restante Grupo fechou bem a pega que foi concluída pela rabejação do Francisco “Sacaiozinho” Godinho. O Tita saiu magoado desta pega não dando a merecida volta a arena e deslocou-se ao Hospital para verificar qual o tipo de maleita de que padecia e só se reuniu ao restante Grupo já no final do jantar com um entorse no joelho, coisa que esperamos todos seja de rápida recuperação para o podermos ver brilhar nas arenas de Portugal!

O Grupo do Ap. Moita não teve a mesma sorte e pegou os seus toiros à 1ª, 3ª e 1ª respectivamente.

No fim da corrida dirigimo-nos para o Restaurante O Cocharro em Alcantarilha onde decorreu o jantar, que teve a presença de muitas “flores”, desde mulheres, a namoradas e a amigas, que quiseram dar os parabéns ao Grupo pela actuação. Foi um jantar descontraído e com muito ambiente, mas que teve também a sua parte mais séria no que toca aos discursos.

Pelo Grupo de Montemor venha vinho, venha vinho, venha vinho!

Tomás Pimenta da Gama
Agosto de 2008

Voltar
com o apoio de