Nome
E-mail
Home | Notícias
Noite dura em Alcácer do Sal.

No passado sábado dia 21-06-08 teve lugar durante a feira de Alcácer a já habitual corrida de toiros. A noite estava muito agradável, com temperaturas amenas, a casa estava composta, os toiros da Herdade de Pégoras encastados e nobres, saíram muito bem, dando boas lides aos cavaleiros, com as respectivas montadas a serem “tocadas” em todos os toiros e rijas pegas aos forcados, algumas delas de grande categoria.

Foi ainda atribuído um prémio á melhor pega, o qual foi ganho pelo forcado João Cabral com uma excelente pega de caras ao 1º toiro, na qual o forcado esteve muito bem do princípio ao fim da pega, tendo sido muito bem ajudado pelo grupo. O júri foi constituído por 5 ex-forcados do Grupo de Montemor, a saber: João Cortes, Vítor Vacas, Paulo Vacas de Carvalho, Carlos Pegado e José Fernando Poitier. Pessoalmente penso que teria sido motivador e justo atribuir este prémio execuo á 1ª e á  esta e á pega, sem dúvida a mais completa, e igualmente á pega do forcado João Caldeira, que pela sua excelente execução técnica, com o forcado a estar, muito bem durante todo o cite, recuando muito bem com o toiro e com o momento da uma reunião impecável, na qual o forcado se baixa e fecha na cabeça do toiro como técnica e rapidez exemplares e, finalmente, suportando os vários derrotes que o toiro deu até ser ajudado e consumar a pega. Sem dúvida que foram estes os dois momentos altos da corrida.
 
Passando a comentar as lides e pegas, diria que nos 1ºe 4º toiros, o cavaleiro Luís Rouxinol, esteve discreto com os dois toiros que saíram bem, tendo imprimido lides alegres e vistosas, com os cavalos bem arranjados, sem no entanto atingir o nível a que já o vimos noutra ocasiões. Quanto ás pega a estes toiros foram efectuados, no 1º pelo forcado João Cabral com a qual ganhou ao prémio a que já me referi atrás de destacar a 1ª ajuda do forcado Caldeira Amaro ao primeiro toiro da corrida e o 4º pelo forcado pelo João Caldeira tendo igualmente efectuado uma grande pega á qual já me referi atrás.

O cavaleiro Rui Fernandes toureou os 2º e 5º toiros, tendo estado de maneira geral bem, com momentos altos, caso de 2 ferros curtos ao seu 5º toiro, com dois bons câmbios a entusiasmar o público presente e algumas piruetas na cabeça do toiro o que também foi bem acolhido e galvanizou as bancadas. O 2º toiro, talvez o melhor em bravura, foi pegado á 2ª tentativa pelo forcado, Filipe Mendes, o qual não esteve bem na 1ª tentativa, tendo recuado pouco e recebido mal o toiro, na 2ª tentativa esteve bem e efectuou uma boa pega, bem ajudado pelo Grupo. O 5º toiro foi pegado pelo forcado João Tavares, que pegou á 1º tentativa este toiro numa pega pouco vistosa. Foi pena que o toiro se tenha arrancado para o forcado a passo e trote, sem investida franca o que tirou brilho á pega. O Grupo ajudou bem este toiro.

Os 3º e 6º toiros, toureados pelo cavaleiro João Moura Caetano, o qual esteve discreto em ambos os toiros, evidenciando-se a elevada qualidade da sua quadra de cavalos. Para pegar o 3º toiro saiu o forcado João Mantas, o qual esteve bem na 1ª tentativa, tendo suportado derrotes fortes mas por falta de ajudas, acabou por sair derrotado. De facto este toiro, muito encastado, tornou difícil a pega, tendo obrigado o João Mantas, que a partir da1ª tentativa esteve um pouco abaixo, do nível a que nos habituou, a efectuar mais 4 tentativas, todas elas muito duras e só á 5ª tentativa, já depois de um aviso do Director de Corrida conseguiu consumar a pega. Não quero deixar de destacar a moral elevada deste grande forcado que, não estando tecnicamente ao seu melhor nível, esteve em todas as tentativas com uma coragem e determinação notáveis. Para pegar o 6º toiro, o pior do curro para os forcados, não só pelo sentido, como pelos defeitos que foi desenvolvendo ao longo da lide e nas várias tentativas de pega, saiu o forcado Pedro Santos, que demonstrou saber da arte de pegar, pela forma com esteve em praça nas 2 tentativas, tendo estado bem com o toiro das duas vezes, talvez pudesse ter recuado um pouco mais em ambas as tentativas... O forcado saiu muito maltratado da arena, de onde saiu de maca, para a ambulância que o conduziu ao hospital, onde efectuou exames médicos que felizmente nada de grave identificaram para a saúde do Pedro Santos. Na 1ª tentativa o Grupo poderia ter ajudado melhor. Para a emenda saiu, de imediato o Cabo José Mª Cortes, que esteve impecável com o toiro, nessa altura já uma “bomba”, que dificilmente se arrancava, obrigando o Zé Maria Cortes a entrar nos terrenos do toiro, o qual, depois da investida, sempre muito violenta, retirava a cabeça lateralmente e para baixo, também violentamente, o que tornou esta pega de enorme dificuldade. De salientar a frieza e sangue frio deste forcado, sempre determinado e muito bem á frente do toiro, que assim conseguiu fechar-se na cara do mesmo, a sua 3º tentativa, lutando constantemente para não lhe perder a cara, o que foi conseguido, com dificuldade mas sem qualquer dúvida. assim resolvendo um complicado problema, que era esta pega, de uma forma categórica e cheia de valor. Um bom exemplo para a forcadagem que vêm em mais este exemplo do seu cabo uma prova de coragem e de saber dar o exemplo nesta difícil e tão Portuguesa arte que é a de pegar (Bem!) toiros.

Em resumo os triunfadores da noite foram sem dúvida os toiros, bem apresentados, não necessitando de peso exagerado, para dar boas faenas, mas muito encastados e com trapio, o 2º quanto a mim bravo e a merecer melhor lide. Para o Dr. João Freixo, aqui ficam as muito justas felicitações por mais este triunfo da sua ganaderia.

Também para os forcados umas palavras de felicitações pois de uma maneira geral estiveram bem, apesar de algumas ajudas menos felizes, tendo efectuado rijas e duras pegas, a estes difíceis e encastados toiros da Herdade de Pégoras. Quero ainda destacar duas grandes pegas de caras, a do João Cabral ao 1ª toiro e do João Caldeira ao 4º, o forcado João Tavares que além da sua pega ainda rebejou 5 toiros com saber e galhardia, além de uma enorme demonstração valor, a pedagogia e coragem do cabo José Maria Cortes, o qual esteve magnífico a dobrar o seu companheiro Pedro Santos, que saiu lesionado, graças a Deus sem sequelas de maior, a um toiro cheio de dificuldades e muito duro.

Uma última palavra de apreço e motivação para o Carlos Pegado, Empresário desta Praça de Alcácer do Sal, antigo forcado do Grupo de Montemor e grande aficionado, o qual, neste difícil período de crise da nossa economia, em que é cada vez mais difícil levar gente ás nossas praças, face ao reduzido poder de compra do Português médio, lutando contra tudo e contra todos, tem conseguido manter a organização de Corridas de Toiros, com as melhores figuras do toureio, os melhores toiros e os melhores grupos de forcados.

João Guimarães 25/06/08

 

Foto-Reportagem: Francisco Romeiras

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Voltar
com o apoio de