Nome
E-mail
Home | Notícias
Dia de Portugal foi em Reguengos de Monsaraz...

Reguengos de Monsaraz, 10 de Junho de 2008 – Dia de Portugal


Mais uma tradicional corrida de toiros na Praça de Reguengos desta vez com o seguinte cartel:

Joaquim Bastinhas
Luís Rouxinol
Vítor Ribeiro
Pedro Salvador
Manuel Telles Bastos
Tiago Carreiras

Forcados de Montemor e Vila Franca

Toiros Murteira Grave

A expectativa era grande uma vez que havia vários motivos de interesse para este dia.
Um cartel bem montado.
Toiros sérios e com peso.
E os forcados, sobretudo os de Montemor.
Esta corrida deixa-me com uma sensação de “saber a pouco”. O nosso Grupo deveria ter pegado os 6 toiros. Tem Grupo para isso e muito mais.

Foi com enorme prazer que mais uma vez recebi o Grupo de Montemor em minha casa.
Desta vez não fui tanto eu uma vez que a minha participação na organização da corrida não me permitiu estar presente. No entanto fui soberbamente substituído pela Maria João a quem gostaria de publicamente agradecer e a quem deixo um grande beijinho.
O almoço ao que consta não estava mau e chegou para todos que eram muitos.

Vamos á corrida.

Os toiros como já disse estavam sérios e pesados.

Para a primeira pega saiu o forcado João Tavares que citou bem, com garbo, recuando bem na cara do toiro permitindo assim uma pega tecnicamente perfeita, com mais uma boa primeira ajuda do João Maria, meu filho (o rapaz faz-se).

O segundo toiro do nosso Grupo calhou ao enorme forcado Manuel Mata. Não discuto a decisão de mandar o Manel p’ra pega deste toiro. O que me parece é que este forcado já deu tanto ao Grupo, anda cá há tantos anos, tem sido tão massacrado fisicamente que se calhar está na hora de ser mais resguardado neste tipo de toiros. Até porque os anos não perdoam e as capacidades físicas já não são as mesmas. Contudo aqui está um grande exemplo de dedicação ao Grupo de Montemor.
O Manel saiu lesionado e eu gostaria de ter visto mais gente com o barrete na mão para pegar o toiro.
O Rodrigo Pietra Torres foi pró toiro com ganas de o pegar e com uma reunião dura, com o toiro a meter o “piton” p’la frente consumou uma rija pega.

No terceiro e último toiro do Grupo de Montemor calhou ao João Cabral encerrar a nossa actuação. Cite de largo e bonito mas com aquela característica particular de recuar pouco com os toiros o que proporciona reuniões duras e difíceis. Uma boa pega.

Uma ultima palavra para os ajudas.
Gostei de ver a dedicação a coesão e o Grupo a ajudar bem em todos os toiros.

O Grupo de Vila Franca cumpriu com galhardia a sua actuação arrebatando o prémio em disputa para a melhor pega.

Uma palavra final de sorte e a certeza de grandes actuações nas próximas corridas.

Quanto ao fim do dia correu pelo melhor. Jantar de novo em minha casa com uma deliciosa e bem-humorada tertúlia á volta da mesa com os veteranos Chinita de Mira, Joaquim Murteira Correia, Francisco Chaveiro, João Cortes, Agostinho Borges, Francisco Borges, Carlos Pegado, Francisco José Godinho entre muita juventude actual do nosso Grupo.
Que saudades.

P’lo Grupo de Montemor, venha vinho

Carlos Santos

Voltar
com o apoio de