Nome
E-mail
Home | Notícias
Digressão das 4 corridas - parte 1

Iniciada a maratona do mês de Agosto, apresentamo-nos, desta feita, no dia 10 de Agosto em Beja, para uma digressão de 4 corridas: Beja 10, Monte Gordo 11, Monforte 12 e Arruda dos Vinhos 13 (esta para o grupo Juvenil).

Já em Beja, todos tínhamos em mente o significado especial desta corrida, pois na época de 2002 a colhida de Simão da Veiga marcou o Grupo para sempre.
Em praça, partilhamos cartel com os cavaleiros Luís Rouxinol, Sónia Matias e António Maria Brito Pães, forcados Amadores de Évora, frente a um sério curro da ganadaria Ortigão Costa, pesados entre os 530 e 630 kg.

Manuel Mata abriu a longa digressão com uma dura pega à 1ª tentativa, após emotivo brinde a Simão da Veiga. António Corrêa de Sá destacou-se na 1ª ajuda.

O nosso segundo toiro foi pegado pelo Rodrigo Pietra Torres, à 2ª tentativa, após uma malograda reunião na primeira tentativa.

João Mantas encerrou a noite para os montemorenses com uma dura e vistosa pega à 1ª tentativa. De destacar também a ajuda de Diogo Campilho, tendo este acompanhado o forcado da cara na volta de agradecimentos.

Em destaque esteve o rabejador João José Comenda, que com classe e mestria rematou superiormente as três pegas desta noite.

Em plena madrugada, rumamos a terras algarvias. Divididos por vários carros, fartamo-nos de “pegar toiros” e “contar mentiras”, de realçar os mais novos do grupo juvenil, que pela 1 vez viajavam em digressão com o restante grupo.

Em Monte Gordo, já divididos pelos quartos de hotel, descansamos. No dia seguinte, na praia, dedicamo-nos ao desporto. À noite, era tempo de corrida. Com o cartel composto por Rui Fernandes, Vítor Ribeiro e a amadora Isabel Ramos, forcados de Montemor e Moura e 5 toiros bem apresentados da ganadaria Charrua.

As conversas faziam antever uma corrida de surpresas. Eram vários os elementos que se propunham a desempenhar novas tarefas.

Para o primeiro toiro foi escolhido Hugo Melo, mais habituado às primeiras ajudas, tinha esta noite uma nova missão. Brindou ao público, citou de largo e aguentou a pronta investida do toiro. Fechou-se com vontade à 1ª tentativa nesta sua primeira pega.

Para o segundo da noite perfilou-se Manuel Ramalho que cumprindo todos os tempos, realizou uma bonita e vistosa pega à 1ª tentativa.

O último toiro estava destinado ao forcado Pedro Melro, também ele habituado às ajudas, tinha esta noite uma nova função. Brindou com emoção ao seu pai e como mandam as regras fechou-se também ele à 1ª tentativa, realizando um sonho antigo.

A noite foi de festa no bar do Rikuku, antes um grande jantar com o Grupo de Moura.

Já em pleno dia 12, tínhamos um novo desafio. A nocturna de Monforte. Após um rápido mergulho no mar, fizemo-nos à estrada. Mais km´s debaixo de um sol escaldante. Que bom! Chegados a Monforte, o mergulho nas piscinas da terra foi um luxo.

Chegada a hora da corrida, com a praça composta, partilhamos cartel com João Moura, Joaquim Bastinhas e Sónia Matias e os amadores de Monforte, para enfrentar 6 Dias Coutinho, que pesavam cerca de 480kg.

O primeiro toiro foi pegado pelo João Tavares, plena de técnica, à 1ª tentativa. Uma grande pega! Bem rematada pelo rabejador, João José Comenda, demonstrando mais uma vez a sua toreria.

O terceiro da ordem foi pegado, também por um forcado “quase da Terra”, o Carlos Cardoso. Frente um toiro que não permitia muitos erros, o forcado esteve menos correcto diante do seu oponente. Consumou a pega à 3ª tentativa.

A encerrar a noite, João Caldeira agarrou no barrete, decidido andou para o toiro, com a córnea muito fechada, que tornou a sua tarefa difícil. Diante de um toiro com muito “gás”, João Caldeira e António Corrêa de Sá sentiram na pele a dureza deste exemplar de Dias Coutinho. Foi à 3ª tentativa a consumação da pega.

Terminada a corrida, ainda faltava uma, para os mais novos… Arruda dos Vinhos!

Na Arruda dos Vinhos, reunidos na casa do Rodrigo Pietra Torres, as funções de cabo eram do Francisco Reis, o cabo dos Juvenis. Com a rapaziada mais nova cheia de vontade de mostrar valor, cedo se rumou para praça da Arruda.

Com o cartel composto por cavaleiros praticantes e amadores da nova geração, a expectativas cresciam. As pegas foram partilhadas com o Grupo de Santarém e com o Grupo de Vila Franca. Foram lidados novilhos Eng. Luís Rocha, bem apresentados para este bolsin.

O nosso 1º novilho foi pegado pelo Nelson Campaniço. Correcto no cite e na reunião, consumou uma boa pega ao 1º intento. A rematar a pegar encontrava-se Luís Vacas.

O nosso 2º novilho foi destinado a Miguel Vacas de Carvalho, que com presença e classe, andou e mandou na investida, fechou-se com técnica e vontade à 1ª tentativa. Francisco Borges jr. rematou esta bela pega com uma boa rabejação.

E assim se encerrou a digressão de 4 corridas seguidas. Mas para os mais desatentos, mais se seguem… Reguengos, Arruda dos Vinhos, Caldas da Rainha, Lisboa… Mês de Agosto!

Noel Cardoso
25 de Agosto de 2006

Beja foi uma corrida para duros

Manuel Mata abriu praça à 1ª tentativa

Rodrigo Pietra Torres executou uma dura pega à 2ª tentativa

Mais um bonito momento da pega do Pietra

Campilho e Mantas alegres depois da merecida volta de agradecimentos

A caminho de Monte Gordo.

Os mais novos dormem no chão

Alguns elementos que se estrearam em digressões

Na praia dedicámos o dia ao desporto

Uma carreirinha do Toninho

Os mais novos tentaram a pirâmide

A boa disposição foi uma constante

Nada como uma boa luta de cavalos para gastar energias

UUUUUUUUiiiiiiiiiiiiiiii.....................

Uaaaaaauuuuuuuuuuuuuuuu...................

Gostamos de pegar toiros mas a praia também sabe bem

Voltar
com o apoio de