Nome
E-mail
Home | Notícias
Corrida de Toiros em Alcácer do Sal

Integrada nas Festas de São João em Alcácer do Sal realizou-se mais uma tradicional corrida.

No cartel Rui Salvador, Vítor Ribeiro e João Moura Caetano, Amadores de Montemor e de Évora, partilhavam a ansiedade de um curro de António Lampreia que era anunciado com grande expectativa, pela imponência que se conhecia. 

Depois de terem sido trocados três toiros, saíram à praça com os pesos de: o 1º com 540kg, 2º510kg, 3º485kg, 4º515kg, 5º545kg, 6º570kg, que no geral foram mansos.

A corrida começou com um protesto público por parte dos Grupos de Montemor e Évora, que não fizeram as tradicionais cortesias numa, manifestação contra uma ordem imposta pela IGAC (Inspecção Geral de Actividades Culturais), que visava o número de elementos fardados.

No que diz respeito há corrida abriu praça o forcado da terra Filipe Mendes. Diante de um toiro que não apresentava problemas citou de largo com postura e elegância, aguentou uma investida lenta do oponente, em parte por não ter conseguido alegrar bem a sorte e fechou-se com vontade. O grupo de ajudas encerrou sem dificuldades uma pega bem rematada pelo rabejador João José Comenda.

Para o nosso segundo da noite perfilou-se o forcado João Cabral. Brindou aos cavaleiros em praça, que numa atitude digna se solidarizaram com o protesto público dos forcados. Com a presença que lhe conhecemos colocou-se diante do toiro que prontamente investiu sobre o forcado. Este, esperou pelo toiro e com uma reunião plena de técnica, não teve problemas em finalizar mais uma boa pega para os montemorenses.

Para os amadores de Montemor fechou praça o forcado João Mantas. Conhecido por grandes pegas a toiros difíceis deparou-se com o mais duro da noite. Brindou a José Fernando Potier, antigo elemento do grupo e Presidente da ANGF, Associação Nacional de Grupos de Forcados. Diante de um toiro bruto e complicado, Mantinhas não se conseguiu fechar à 1ª depois de uma reunião em que o forcado não esteve correcto. Na 2ª foi atropelado por um toiro que nem humilhou dificultando em tudo a tarefa do forcado da cara. Fechou-se à 3ª tentativa, já com ajudas carregadas em que se destacaram o primeiro ajuda António Corrêa de Sá e os elementos Diogo Campilho e Francisco Cornacho. Diante de um toiro sério que exigia o máximo de um grupo, João Mantas mostrou a valentia que lhe conhecemos mas, em especial na primeira tentativa, faltou alguma concentração para assim executar uma sorte difícil, da melhor maneira.

Os amadores de Évora comandados por João Pedro Rosado que pegou o primeiro toiro executaram as suas pegas à 1ª, 2ª e 1ª tentativa.

A noite como não podia deixar de ser continuou em festa, depois de um animado jantar na Feira de São João.

Obrigado à família Mendes, que mais uma vez nos recebeu principescamente na conhecida Herdade do Penique.

Rodrigo Corrêa de Sá
18 de Julho de 2006

Fotografias: Francisco Romeiras

A corrida começou com um protesto público por parte dos Grupos de Forcados que não participaram nas tradicionais cortesias.

Rui Salvador solidarizou-se com um brinde emotivo

Filipe Mendes abriu praça na sua terra.

A merecida volta de cavaleiro e forcado.

João Cabral executou uma pega plena de técnica.

João José Comenda esteve como nos habituou.

João Mantas brindou a José Fernando Potier, antigo elemento e presidente da ANGF (Associação Nacional de Grupos de Forcados).

Só à terceira tentativa e bem ajudado pelos elementos António Corrêa de Sá, Diogo Campilho e Francisco Cornacho é que se realizou uma pega difícil

Alcácer foi uma noite boa para os montemorenses.

Voltar
com o apoio de